quarta-feira, 9 de maio de 2012

Quem é Jesus?

......
Uma coisa que podemos dizer sem muito erro é que há dois "tipos de Jesus": o falso e o verdadeiro.

E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?
E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
(Marcos cap. 8
)

Vemos neste episódio Jesus arguindo seus discípulos sobre o que pensavam dele. Em cada resposta foi apresentado um perfil diferente de Jesus. E a resposta certa foi a de Simão Pedro, como vemos pela reação de Jesus, no verso seguinte:

E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. (Mateus 16.17)

O que podemos ver aí é que sobre Jesus há uma noção correta e muitas erradas. A correta é que ele é o Cristo, Filho do Deus vivo. As erradas são as que o limitam a um profeta, um vulto do passado, ou ainda incorporando mais alguns conceitos dos tempos atuais, um cara gente
fina, um bom moço, amigão da galera, um filósofo, um sábio, um guru ou qualquer outra coisa de acordo com a expectativa cultural, intelectual, religiosa ou de interesse particulares do observador.

 O Jesus dos homens, é aquele visto de longe, por quem não o conhece, mas faz pressuposições com base no que vê, no que acha que vê, no que gostaria de ver.

Daí é que surge o Jesus garoto-propaganda das mais difusas e confusas ideologias humanas. Todos querem ter Jesus endossando e trabalhando por seu produto: gays, filantropos, ecologistas, místicos, religiões todas elas.

O Jesus correto é conhecido daqueles que convivem com ele, que o seguem, que o têm como mestre e senhor. A estes, ele, o Jesus verdadeiro se revela. Como Cristo, Filho do Deus vivo.

E a estes, Jesus responde: "bem-aventurado". 


Hamilton Furtado

Um comentário :

  1. Acredito que o cristão deva apresentar as boas novas, com seriedade e simplicidade. As pessoas tem o direito de ouvir (de verdade)sobre a razão da verdadeira esperança. O que ocorre é que tem "muito anuncio" que apresenta um pseudo cristo, ajustado na medida dos desejos e paixões "do freguês". Jesus Cristo não necessita de ajudinha para que ELE de fato apareça, ninguém precisa maquiá-lo pensando que assim ficará mais "bonitinho e digerível". É buscar conhecê-lo e prosseguir conhecendo. Abçs

    ResponderExcluir